História

ONG com atuação histórica na reserva da biosfera do Cinturão Verde de São Paulo (RBCV), nasce associada à criação do Programa de Jovens – Meio Ambiente e Integração Social, em 1997, ainda como Associação Holística de Participação Comunitária Ecológica (AHPCE).

Desenvolveu a metodologia de formação integral e ecoprofissional dos jovens e passou a atuar cada vez mais próxima dos 78 municípios da RBCV, com a visão de que todos os atores devem estar envolvidos em seu desenvolvimento local. Sempre manteve a agroecologia como importante frente de atuação, visando a sustentabilidade dos processos produtivos e o fortalecimento de políticas para a agricultura familiar e orgânica.

A ONG passa por momentos marcantes com a condução da Avaliação dos Serviços Ecossistêmicos, em parceria com a Fundação Florestal e o Instituto Florestal de São Paulo, projetos de educação integral no contraturno escolar, como o Escolinha do Futuro em parceria com a Secretaria de Educação de Osasco e apoio a iniciativas como o Ângela de Cara Limpa, no Jardim Ângela (SP), além da Rota do Cambuci, desde 2008, organizando produtores e festivais gastronômicos do fruto.

Em 2014, a AHPCE passa a se chamar Instituto Auá de Empreendedorismo Socioambiental, mantendo o compromisso com a formação humana para transformações efetivas, por meio de empreendimentos socioambientais.

HOMENAGEM A ONDALVA SERRANO
Fundadora e Conselheira do Instituto Auá

“A partir de uma visão de mundo sempre atenta ao ser humano e as leis naturais que regem a vida, a agrônoma Ondalva Serrano tem sua história intimamente ligada ao movimento em defesa da agroecologia, de políticas públicas integradas e da criação de verdadeiros espaços educadores e conscientizadores. Ondalva sempre acreditou que as interações entre os setores público, privado e a sociedade civil são a base para a construção de um coletivo sustentável.” Continue lendo

LINHA DO TEMPO

1997 - 2000

  • 1997 – AHPCE é fundada para ser o elemento chave na construção do Programa de Jovens – Meio Ambiente e Integração Social (PJ-MAIS)
  • 2000 – PJ-MAIS expande-se para sete Núcleos de Educação Ecoprofissional, nos municípios de São Roque, Santos, São Bernardo do Campo, Santo André, Guarulhos, Itapecerica da Serra, Cotia, e nasce a Rede do Programa, com apoio da UNESCO
  • 2000 – AHPCE é premiada pela UNESCO com diploma de bons serviços prestados à Rede do Programa de Jovens da RBCV.
  • 2000 – Nasce a parceria com o Instituto Florestal para a condução da Avaliação Sub Global da RBVC.

2001 - 2005

  • 2004 – AHPCE trabalha na elaboração de Plano de Manejo para a Fundação Espaço Eco/BASF em parceria com a prefeitura de São Bernardo do Campo, por meio do Programa de Jovens
  • 2005 – Programa de Jovens se consolida com recursos do Banco Mundial e AHPCE vence o concurso Development Market Place com o projeto “Eco-job Training in Periurban Zones: Environmental Conservation and Social Inclusion”

2006 - 2007

  • 2006 – Realiza o Projeto Mobilização em Educação Ambiental e Práticas Sustentáveis nas Bacias Hidrógraficas da Billings e Guarapiranga, com recursos do Fehidro, no Jardim ngela, em São Paulo
  • 2006 – Com projeto aprovado pelo Fehidro, realiza o Plano de Manejo do Manancial da Boa Vista, em Cumprimento à Lei do Sistema Nacional de Unidade de Conservação
  • 2006 – Inicia-se o Projeto Cozinha Escola, no Núcleo de Educação Ecoprofissional de Paranapiacaba, em parceria com a Fundação Banco do Brasil
  • 2006 – AHPCE atua na formação de educadores em Economia Solidária e na incubação de empreendimentos solidários, em parceria com a Holos 21 e a Prefeitura de Itapacerica da Serra
  • 2007- Em São Roque, por meio da Diretoria Municipal de Ação Social, nasce o Projeto Ypês, focado no Protagonismo Juvenil para a Construção da Cidadania
  • 2007 – AHPCE apoia a Cia Teatral O Boto Mascarado para implantação do Programa de Ação Cultural nas Escolas de São Roque, com vistas à “educação integral em tempo integral”
  • 2007 – Parceria com a Cáritas de Santo Amaro e Incubadora Tecnológica de Cooperativas Populares da Fundação Getúlio Vargas ITCP-FGV, para realização do Curso de Introdução à Economia Solidária e formação de uma Rede Solidária Regional
  • 2007 – AHPCE articula inserção de jovens no ecomercado, em Cajamar, como monitoramento de área recuperada da mineradora CJ Mineração Ltda e em Embu-Guaçu, com o projeto Neutralização de Carbono, em parceria com a Oficina de Carbono, recuperando mais de 5000m2 de área do Parque Estadual da Várzea

2008 - 2009

  • 2008 – Nascem os Núcleos de Educação Ecoprofissional do Programa de Jovens nos municípios Francisco Morato, Cubatão e Embu
  • 2008 – Início do Projeto Escolinha do Futuro, em parceria com a Secretaria de Educação da Prefeitura Municipal de Osasco, que atingiu até 15 mil crianças por ano no contraturno escolar
  • 2008 – 2010 – O trabalho com a inserção de jovens do PJ-MAIS de Embu-Guaçu no ecomercado local se fortalece com as parcerias com a Prefeitura de Embu-Guaçu, Oficina do Carbono, Daichii Sankyo Brasil Farmacêutica, Mega Energia, Rádio CBN -Central Brasileira de Notícias, Imagem, Damyller, Bureau, Nage, JobGroup, Algar, Mega Energia, Dezontini Adv, Rossi América, AAgência Brand Activation, Schincariol, Firmenich e Cia.
  • 2009 – Parceria com a Sociedade Santos Mártires, FEMA SVMA, Instituto Camargo e FEHIDRO para início do Programa ngela de Cara Limpa, com a reciclagem de coleta seletiva e incubação de negócios sociais, como o Papel de Mulher, o Reciclegami, e o Mudação, no Jardim Ângela (SP)
  • 2009 – Início da participação na I Rota Gastronômica do Cambuci, que reúne festivais gastronômicos com o fruto símbolo da Mata Atlântica
  • 2009 – Parceria com o Instituto Florestal na organização do capítulo “Evaluación Ecosistémica del Cinturón Verde: una propuesta de gestión territorial en reservas de la biosfera urbana“, parte integrante do livro “Reservas de la biosfera: su contribución a la provisión de servicios de los ecosistemas; experiencias exitosas en Iberoamerica” – UNESCO Chile
  • 2009 – Gestão do Programa “Recreio nas Férias”, da Secretaria de Educação de Osasco, com atividades artísticas, culturais e de lazer, atendendo 16.000 alunos da rede pública de ensino

2010 - 2011

  • 2010 – Início da publicação Serviços Ecossistêmicos e Bem-Estar Humano na RBCV, em parceria com o Instituto Florestal
  • 2010 – AHPCE representa a Avaliação Subglobal da Reserva da Biosfera do Cinturão Verde da Cidade de São Paulo no II Encontro das Avaliações Subglobais, em Bali, Indonésia
  • 2010 – Lançamento do livro Cambuci: o Fruto, o Bairro, a Rota com recursos do Ministério da Cultura, por meio da Lei Rouanet
  • 2010 – Formação de educadores em Economia Solidária e Empreendedorismo, em parceira com a Prefeitura Municipal de Louveira
  • 2010 – AHPCE realiza o Projeto de Agricultura Urbana em Osasco, com a recuperação de áreas degradadas e criação de hortas com famílias de baixa renda, em parceira coma Secretaria do Desenvolvimento, Trabalho e Inclusão do município
  • 2011 – Novos projetos, como o Sistemas Agroflorestais como Alternativa Econômica, Social e Ambiental, para Agricultores e Jovens, nas APAs Capivari-Monos e Bororé-Colônia, em Parelheiros (SP), com recursos do FEMA e parceria com Ana Lapinni

2012 - 2013

  • 2012 – Nasce a Frente Parlamentar em Defesa da Produção Orgânica e Desenvolvimento da Agroecologia no Estado de São Paulo
  • 2012 – Começa o projeto Encontrarte/Semanas Municipais de Prevenção ao Uso de Drogas, em parceria com o Ministério da Justiça/Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas – SENAD e com as prefeituras municipais de Osasco, Campinas, Americana, Limeira, Rio Claro, Salto, Vinhedo, Indaiatuba e Atibaia
  • 2012 – Implementação da metodologia Empreendimento-Escola, no Núcleo de Educação Ecoprofissional do Programa de Jovens de Paraibuna, com patrocínio da Petrobras
  • 2013 – Fortalecimento do empreendimento Mudação, de agroecologia urbana, no ngela de Cara Limpa, com produção de alimentos orgânicos no espaço, e aposta nas oficinas in loco do negócio Papel de Mulher
  • 2013 – AHPCE dá início ao processo de desenvolvimento organizacional, com apoio da Circulah

2014 - 2015

  • 2014 – Nasce o Instituto Auá de Empreendedorismo Socioambiental
  • 2014 – Nasce o Empório Mata Atlântica, para comercialização de frutos nativos, e Instituto Auá coordena o Arranjo Produtivo Sustentável e a estruturação de Roteiros Turísticos da Rota do Cambuci
  • 2014 – Tem início o empreendimento Banca Orgânica, de apoio à agricultura orgânica familiar
  • 2014 – O empreendimento Aldeia Educadora, do Instituto Auá, inicia sua atuação com planejamento intersetorial em Araçoiaba da Serra (SP)
  • 2015 – Início do Projeto Linha de Costura da Rede de Proteção da Criança e do Adolescente para a formação de atores e organizações do Conselho Municipal da Criança e do Adolescente no município de Osasco
  • 2015 – Coordenação dos Festivais Gastronômicos do Cambuci em 12 municípios do Cinturão Verde de São Paulo
  • 2015 – Cambuci ganha espaço na mídia com aparição em importantes veículos como a capa do Caderno Paladar do Estado de São Paulo entre outras
  • 2015 – Introdução do Cambuci na merenda escolar de Itapecerica da Serra

  • 2015 – Realização do Seminário Agroecológico da Cultura do Cambuci
  • 2015 – Participação na mesa do Workshop Turismo Rural, Indicação Geográfica, Gastronomia e Sustentabilidade
    Realização de oficina sobre empreendedorismo social e frutas nativas no Festival da Mata Atlântica de Bertioga – SP
    Participação da mesa do Seminário Frutos Nativos da Mata Atlântica no Instituto Florestal – SP
  • 2015 – Realização da Formação Integral e Ecoprofissional de educadores e membros da Secretaria de Educação do município Araçoiaba da Serra – SP
  • 2015 – Formação Integral e Ecoprofissional para educadores do município de Jundiaí – SP, dentro do projeto Professor Sustentável da Fundação Alphaville
  • 2015 – Participação no movimento Aliança Pela Água
  • 2015 – Instituto Auá assume vaga no Comusam – Conselho Municipal de Segurança Alimentar e Nutricional
  • 2015 – Participação como palestrante no II Fórum Nacional de Filantropia Estratégica com o tema Educação Integral
  • 2015 – Frente Parlamentar em Defesa da Produção Orgânica e Desenvolvimento da Agroecologia homenageia Ondalva Serrano, fundadora do Instituto Auá, rebatizando a Frente com seu nome
  • 2015 – Instituto Auá Integra conselho gestor do Mosaico da Bocaina de Áreas Protegidas
  • 2015 – Organização e realização de oficinas de cultivos urbanos na Virada Sustentável na Praça Nova Lapa mobilizando a comunidade da Vila Leopoldina
  • 2015 – Empório Mata Atlântica fecha novas parcerias para introdução do Cambuci como Galinheiro Grill, Hyatt Hotel, Be Fresh, entre outros e participa da Batalha de Food Trucks da GNT
  • 2015 – Parceria com IDEC para realização de formação em Educação Financeira
  • 2015 – Banca Orgânica recebe lideranças do HSBC para apresentação do modelo de negócio e realidade local em Santo Antônio do Pinhal – SP
  • 2015 – Banca Orgânica forma novos Coletivos de Consumo e parcerias com organizações como Mundo Verde, Escola Arapoti e Orgânicos da Mantiqueira

2016 - 2017

  • Abertura do Box Mata Atlântica e Amazônia, no Mercado de Pinheiros, em parceria com Instituto ATA
  • Realização da oficina “A Mata Atlântica no seu Quintal”, no hall do Mercado de Pinheiros, envolvendo cerca de cem pessoas, com degustação e palestras
  • Encerramento do Projeto Linha de Costura da Rede, em Osasco, com lançamento da publicação final
  • Produção do vídeo e realização do site da Banca Orgânica, com lançamento em meados de 2016
  • Formações para o Programa Jovem Sustentável Aprendiz, da Fundação Alphaville, em Senador Canedo (GO).
  • Realização do curso de Agricultura Urbana, em parceria com a SDTI – Secretaria de Desenvolvimento, Trabalho e Inclusão de Osasco, com lançamento da publicação sobre Hortas Urbanas.
  • Realização do curso de Panificação e Confeitaria Artesanal, em parceria com a SDTI – Secretaria de Desenvolvimento, Trabalho e Inclusão de Osasco, com lançamento da publicação sobre o tema para os participantes
  • Lançamento da publicação sobre Frutas Nativas da Mata Atlântica, do Empório Mata Atlântica.
  • Participação da conselheira do Instituto Auá, Ondalva Serrano, como palestrante na II Feira de Sustentabilidade de Piracicaba, no lançamento da biografia de Ana Primavesi, no Parque da Água Branca, entre outros eventos.
  • Criação e lançamento do facebook do Empório Mata Atlântica.
  • Participação do Empório Mata Atlântica na Bio Brazil Fair, no estande do Organic Food Fest.
  • Parceria de conteúdo com o portal São Paulo Saudável, com temas sobre frutas nativas, saúde e orgânicos.
  • Coordenação dos festivais da 8ª Rota Gastronômica do Cambuci, e realização do Festival de Mogi das Cruzes, com público de até 6 mil visitantes, e abertura e fechamento da Rota 2016.
  • Desenvolvimento do Buffet Sabor Nativo com serviço de buffet a base de nativas da Mata Atlântica e oficinas gastronômicas.
  • Realização d Festival de abertura da 9ª Rota Gastronômica do Cambuci no Largo do Cambuci (SP).
  • Realização do evento Nativas 360°: Um Panorama pela Diversidade da Mata Atlântica.
  • Início do projeto Promoção de Sistemas Agroflorestais de espécies Nativas da Mata Atlântica em áreas de mananciais com recursos do FEHIDRO.
  • Participação nos eventos BioBrazilFair, Brazil Promotion, Fispal, Feira Viva, para promoção das nativas na gastronomia.
  • Buffet Sabor Nativo leva o sabor da Mata Atlântica para públicos da WRI, Engajamundo, SOS Mata Atlântica, TNC, Nutrify, Rebal, Faculdades São Camilo, Fundação Telefônica, entre outros.

PRÊMIOS


2004

Premiação pela UNESCO pelos serviços prestados pela AHPCE à Rede do Programa de Jovens da RBCV


2005

Prêmio Development Market Place do Banco Mundial com o projeto “Treinamento ecoprofissional em zonas periurbanas: conservação ambiental e inclusão social”, em parceria com a RBCV


2009

Prêmio “Cambuci Sustentável” pela relevância da participação na I Rota Gastronômica do Cambuci


2016

Primeiro lugar no Concurso “Mesa Aposta” da revista Prazeres da Mesa, no evento MESA SP


2017

2º lugar no Desafio Ambiental – Inovação e Empreendedorismo em Restauração Florestal – WWF Brasil, em parceria com o Ministério do Meio Ambiente, entre 130 inscritos.